UM TEXTO QUE AJUDA A COMPREENDER A DERROTA DO PT EM DIADEMA

No dia  11 de novembro de 2012, participei de importante reunião  em Diadema com militantes de várias denominações partidárias, que, cansados de suas experiências tiraram dúvidas sobre a existência do partido e o papel de relevo que o Psol cumpre nesse momento histórico.

A crítica a atuação do PT na cidade era unânime dentre os presentes. Durante a reunião cada fala me reportava à origem do PT nos idos da década de 80, quando na casa da minha falecida  Mãe, (Dona Maria do jardim Santa Cândida), realizamos dezenas de reuniões, apoiamos candidatos a vereadores e a prefeito pelo PT, sempre acreditando na luta e na transformação social tão necessária e urgente para a classe trabalhadora em nosso País.

Com a chegada de vários prefeitos à administração municipal, a cada dia  o partido se distanciava dos seus ideais, do respeito as bases e do projeto estratégico de transformação social que tanto acreditávamos.

Confesso que nesses anos de domínio do Partido na cidade,  foi marcante quando em  04 de abril de 2009, o prefeito juntamente com sua bancada de sustentação agrediram os professores da rede pública estadual, transformando o plenário da câmara municipal numa verdadeira praça de guerra, rasgando definitivamente qualquer possibilidade de defesa do PT como referência de  luta dos trabalhadores.

Os professores queriam dialogar sobre o projeto do prefeito que rechaçava nossa histórica luta contra a municipalização  do ensino no Estado de são Paulo e no Municipio.

Naquele momento eu já prenunciava a derrota do partido no próximo pleito eleitoral, fato esse que ocorreu agora nas eleições municipais de 2012.

Se é verdade que os educadores não dispõem de forte capacidade de mobilização e promoção de determinados candidatos nos pleitos eleitorais, enfrenta-los como nesse e em outros casos  é a assinar o atestado de óbito político em nível federal, estadual ou municipal.

Naquela ocasião o Psol em nível regional aprovou a seguinte moção:

 Moção de Repúdio aos atos de violência praticados pelo Prefeito Mário Reali e vereadores do PT de Diadema.
A coordenação Regional do Partido Socialismo e liberdade da região do ABCDMRR, repudia o golpe perpetrado pelo Prefeito Mário Reali e os vereadores do PT, pela aprovação do projeto que institui a Municipalização de Ensino em Diadema.
Em campanha , o referido prefeito assumiu compromisso em dar vazão e empenho para zerar o déficit das vagas da creche e pré-escola (aproximadamente 35 mil) e assumiu perante os educadores que não municipalizaria o ensino na cidade.
Demonstrando ser um Prefeito de duas caras, ele encaminhou a câmara o projeto de municipalização e os vereadores sem diálogo com os moradores e educadores aprovam o tal projeto. Protegidos por um inigualável aparato policial e repressor , agridem os manifestantes com guardas cachorros e gás de pimenta lançado sobre a população indefesa .
A imprensa governista, mais uma vez descreve os fatos parcialmente sem ouvir e relatar a opinião dos professores e comunidade que na verdade foram vítimas dos algozes do prefeito . Nesse sentido, nos solidarizamos com os Professores e a subsede da APEOESP de Diadema, pela luta heroica na defesa da escola pública de qualidade e laica.Coordenação reunida em 04/04/2009.”

 

Quem sabe agora afastados dá máquina do poder a base do partido na cidade reflita melhor sobre os sucessivos erros praticados pelos dirigentes em relação ao povo que tantas vezes os reelegeram para cargos diretivos na cidade.

Não foi o atual prefeito de Diadema que ganhou, foi o PT que perdeu pra ele mesmo, pois a população cansada dos desmandos deu um basta aquele comportamento de truculência e desrespeito para com os educadores e certamente para com a população em geral.

Para nós educadores a luta pela educação pública, gratuita e laica vai continuar independente dos governantes e dos prefeitos de plantão. A cidade de Diadema sempre foi um laboratório da esquerda ao longo de vários anos e nesse momento a retomada dessa força latente está na ordem do dia.

O slogan usado pelo Psol nas eleições de 2012 em são Bernardo do campo traduz esse sentimento: “Nem o passado como era, nem o presente como está. Psol 50 pra mudar”.

O nosso empenho e luta em busca de uma sociedade livre, justa e igualitária, tendo por base o socialismo cientifico é crescente a cada dia que passa, pois o povo experimentado e consciente do seu poder político “destrói  sempre os  castelos de areia e edifica coisas belas”.

Continuar na luta é preciso!

Fonte: Aldo Santos– Ex-vereador, Coordenador da apeoespsbc, Presidente da Associação dos professores de Filosofia e Filósofos do Estado de São Paulo, militante do Psol.

Anúncios

Sobre professoriristeu

Professor Iristeu é pedagogo e especialista em educação.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s